domingo, 26 de agosto de 2007

Poeminha

Ponto Cruz

Hoje, não consigo encontrar,
O fio da meada
Para bordar os meus versos!
Queria bordá-los em ponto cruz
Que verga meus ombros,
Machuca minha alma,
Deixa minhas mãos dormentes...
Mas só consigo pintá-los
Com o vermelho do meu sangue
Que escorre deste coração ferido!

Carmen Vervloet

Um comentário:

Maria Goreti disse...

Carmen, querida, hoje eu também não estou conseguindo bordar palavras. Hoje eu também estou pintando na tela um coração vermelho de dor.
É um poema muito forte, que tocou sensivelmente a minha alma. Parabéns!
Beijos
Goreti