quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

CAMINHO DO SÓ

Caminho do só...

Fadas do tempo...
Acendam as estrelas em luz...
Levem, este meu sentimento
Às rotas do vento...
Libertem-me desta cruz...
A noite fez-se em breu
E perdi o rastro de Jesus.
Tropeço em sombras...
Esbarro em ondas
Que me levam sem dó...
Neste caminho do só...
A dor machuca... Fere...
Faz sangrar meu coração...
Mas não transfere
Esta minha solidão...
Na vastidão deste tempo
Conduzo meu pensamento
Que retorna a branca areia...
A dor corre entre veias
Da fria madrugada...
No tempo do nada...
No breu da estrada...
Levaram meus sonhos,
Meus lábios risonhos...
E agora sou apenas
Uma triste cena
De uma noite sem luz...
Arrastando a minha cruz...
Socorram-me fadas
Ou acabo em nada...

Carmen Vervloet

4 comentários:

advjs2005 disse...

1. GOSTARIA DE VER AQUI AQUELES POEMAS QUE VC DISSE TER FEITO PARA MIM, COM A SUA DEDICATÓRIA À MINHA PESSOA.
2. POSSO POSTAR ALGUMAS COISAS QUE ESCREVI PARA VOCÊ PUBLICAR TAMBÉM AQUI?
Jorge Saadi

advjs2005 disse...

PODEMOS TROCAR O JANTAR DE AMANHÃ POR ALMOÇO? FAVOR TELEFONAR-ME. NADA JUSTIFICA ESSE SEU PROCEDIMENTO. HOJE SOU EU, QUEM SABE NUM FUTURO PRÓSIMO SEJA VOCÊ.
Jorge

advjs2005 disse...

FAVOR CORRIGIR O ERRO DE DIGITAÇÃO DA PALAVRA "PRÓXIMO".Grato.Jorge

Minhas Pinturas disse...

Carmem, me identifiquei muito com as suas poesias. É como sentir o coração de outra pessoa no seu coração! É maravilhoso poder ter a sua amizade. Rosas como você serão sempre eternas! Adorei seu blog, adorei suas poesias! Parabéns, Carmem e tenha um lindo domingo das Mães! Um abraço carinhoso da amiga Fada!