quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

ROSA AZUL

Rosa Azul

Quantas coisas me vêm à mente...
E de uma maneira mais veemente
A triste, a angustiante verdade...
Como é fácil fazer nascer...
Como é árduo fazer florescer
A rosa azul da amizade.

Será que ela não existe?
Será que a erva daninha sempre a sufoca?
Será que é rara nesse mundo triste?
Será que ninguém, com ela, mais se importa?

Mas ela é linda demais!
Não... Não... Morrer não pode jamais!
Através de séculos e séculos floriu...
À maldade dos homens corajosamente resistiu...
Será que hoje não gostam da sua cor?
Será por isso que destroem a flor?

Tenho vontade de me transformar em fada...
Penetrar dentro de cada coração
Transformar o egoísmo em nada...
Transformar em fraternidade a competição...

Realizar uma verdadeira metamorfose...
Modificar o ódio em amor...
Concretizar a sã gnose...
Do perdão, aumentar a dose...
Para que todos enxerguem a flor.

Colorir complexos com o vermelho da segurança...
Colorir frustrações com o verde da esperança...
Pincelar... Pincelar... Sobre o preto do ódio...
O branco da paz...
Apagar a falsidade que tanto mal faz!

E ver então florescer
A rosa azul da amizade
Desabrochando
Sob a luz do alvorecer!

Carmen Vervloet



2 comentários:

Maria Goreti disse...

Carmen, querida,
Teu belíssimo poema inspirou este Tanka que eu trago pra você.

TANKA II

Linda rosa azul,
cultivada com carinho,
borboleta beija.

Beija-flor com amor beija,
A flor azul da amizade.

©Maria Goreti Rocha
Vila Velha/ES – 31/01/08

Parabéns!
Você é uma das pessoas mais inspiradas e belas que conheci.
Beijão na alma.

Goreti

A.S. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.