quinta-feira, 25 de abril de 2013

Simplicidade



Eis que surge a voz da simplicidade,
nada mais é artificial,
foi-se o tempo da desmedida vaidade...
A vida agora é bem mais natural!

As vitrines já não mais me enfeitiçam,
não preciso nada aparentar...
Atraem-me mais os passarinhos que cantam
e as flores no jardim a brotar!

Superei a fase do excessivo consumo,
só me importa o que realmente tem valor,
como saúde, paz, desvelo e amor!

Aparência não é mais o suprassumo,
nada por fora vai me eternizar,
o que eterniza são os versos do meu poetar.

Carmen Vervloet

Um comentário:

Sue disse...

Oi, Carmen!
Vim conhecer teu blog! Gostei, fui ficando, lendo, virando páginas...
Bom demais! Bjs!