segunda-feira, 28 de março de 2011

PAISAGEM SEM COR


Tanto foi... mas tanto foi o sofrimento...
Que meu coração secou!
Hoje sou um grão de areia ao vento,
tão perdida que já nem sei quem sou.

A falta de paz é meu tormento.
A insônia nas noites me persegue.
Peço a Deus que me faça um acalento
ou então que faça meu momento breve.

Meu silêncio é feito de agonia,
minha alma entregue à dor...
Meus sonhos não voam sobre as pradarias,
minha vida é uma paisagem sem cor.

A esperança acorrentada no meu peito.
A chave perdida no deserto e sua imensidão.
Meu corpo debatendo-se sobre o leito,
meus olhos perdidos na escuridão.

Carmen Vervloet

Um comentário:

jbcontatos disse...

Olá, boa tarde!
Encontrei seu blog no POEMAS DE AMOR.

Parabéns pelo belo trabalho!

Gostaria que participasse tambem do meu VIDA VIVA POEMAS, o endereço é

www.jbcontatos2.blogspot.com

Um abraço!