quinta-feira, 19 de julho de 2007

Acidente Com Avião da Tam

Almas Assustadas

Um grupo de almas se move...
Saem de seus corpos negros... Carbonizados...
O Brasil inteiro se comove
E chora... E sente... Indignado!...

Quem será o responsável por tantas vidas perdidas?
Por tantas famílias de seus membros amputadas?
Quem acalmará tanta dor sentida?
Quem trará de volta a pessoa amada?

Lamentavelmente... Ninguém!
Só o tempo no seu giro permanente
Poderá aplacar a dor de muitos! E também
O lamento profundo, evidente...
Que sai do âmago de quem ficou
Com o coração de tristeza doente!

Oh! Deus Senhor do Universo!
Receba essas almas assustadas,
Ouça o meu apelo, o meu verso...
Que vem desta poesia ensimesmada!

E tudo virou pó...
E naquele que seu ente querido perdeu...
Triste, sofrendo de dar dó,
O medo da impunidade cresceu!

E a você que partiu tão de repente...
E segue por esse espaço imensurável,
Não se prenda mais a sua gente,
Siga em paz atrás da luz que se acende
E caminhe infatigável...
Até encontrar o Criador!

E um dia todos nós deste planeta
Transporemos a fronteira deste segredo
E só então no rastro de qualquer cometa
Voando sem dor, angústia ou medo,
Celebraremos a festa das energias
Vibrando... Reencontrando-se... Em harmonia!...
Por ora posso apenas dizer...
Vá com Deus... Até qualquer dia!...


Carmen Vervloet



Um comentário:

Música Popular Brasileira disse...

Lindo Carmen! Emoção pura amiga. O Brasil chora ainda calado. Mas nossas mãos podem escrever nossa indignação, nossa dor.

Beijo, Ava