segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

ROMÂNTICA




Na mente “flashes” dos bailes românticos de antigamente
onde as moças, qual plumas, giravam pelo salão
a alegria cabia apenas num sorriso e educadamente
no “grand finalle” o cavalheiro agradecia com um beijo na mão.

Os olhares se cruzavam perdidos em emoção
acendendo as fagulhas das asas do desejo
a orquestra tocava valsa, bolero, samba canção...
O contato sutil dos lábios num tímido beijo.

Uma palavra de amor segredada baixinho ao ouvido
o farfalhar das anáguas engomadas sob o vestido
lembranças que guardo eternamente comigo
cerradas num frasco de cristal de Dioríssimo antigo.

Carmen Vervloet

Um comentário:

Maria Goreti disse...

Carmen, querida,
Vi-me rodando no meio do salão, (re)vivendo intensamente a emoção do momento! Lindo, minha amiga!
Beijos
Goreti